Drones-2

Drones Comerciais, expectativas no 2017!

Posted by on / 0 Comments

Eles encontram vítimas de terremotos, combatem incêndios, inspecionam danos na agricultura e fazem inventário em áreas florestais. Os drones comerciais estão entrando em mais áreas de uso.

Uma previsão da PricewaterhouseCoopers (PwC) LLP sugere que o mercado global de drones comerciais pode atingir um valor de 115 milhões de euros até 2020.

Dois fabricantes alemães de drones (MAVinci & Ascending Technologies) foram comprados pela gigante de chips nos últimos meses. MAVinci de St. Leon-Rot produz mapeamento com drones e seus softwares.

O especialista em drones multirotor, da Baviera, Ascending Technologies (AscTec) está fortemente representado na gestão do petróleo, gás e energia. A Intel em parceria com a AscTec desenvolveu por último o drone Falcon 8+. Matthias Beldzik, gerente da Intel na Alemanha, considera os drones “virtualmente sendo pilotados por computadores inteligentes e em rede, segundo a lei de Moore”. Isto significa que suas habilidades devem continuar a tornar-se mais diversificadas, enquanto eles devem continuar a tornar-se menor.”

Um potencial de negócios gigantesco
“Drones e sistemas não tripulados na terra e na água têm um grande potencial de”, afirma Oliver Frese, diretor da Deutsche Messe AG. Como resultado, a CEBIT está claramente expandindo esta área.

O foco está em aplicações de negócios que atualmente se estendem para a logística e tecnologia de medição para agricultura e silvicultura, passando pela polícia e bombeiros, do comércio à medicina. O foco da CeBIT no hall 17 consiste em uma exposição, um show de voo e uma conferência

  • a Internet das Coisas;
  • aplicações de Big Data;
  • soluções de comunicação e infraestrutura
  • pesquisa e desenvolvimento

A fabricante chinesa Yuneec (hall 17, stand A54) é a que foca principalmente para o campo de resgate de emergência como o seu principal mercado. A empresa fez seu nome com os modelos de aviões de controle-remoto e ultra-leves nos últimos 15 anos. Até agora, os seus quads equipados com câmera ajudam bombeiros, esquadrões de emergência, guardas costeira e forças policiais a obterem uma visão geral e superar obstáculos.

O “Typhoon H”, da Yuneec, é considerado, um dos melhores robôs voadores, pois reconhece os obstáculos e pode escapar deles de forma independente.

Na expectativa do mercado do 2017 a Globe UAV GmbH (hall 17, stand E26) da Delbrück não usa um controle remoto clássico para o seu drone GUAV8, mas computador, teclado, mouse e rede de telefones celulares. Dentro de um raio operacional de 30 km e um tempo de voo de até 60 minutos, o drone fornece vistas aéreas e dados ambientais em tempo real.

Com sua função de visão noturna, o drone pode ser usado também no escuro, para observar ou rastrear por exemplo. As forças policiais adquirem assim um instrumento adicional para seguir os perpetradores transferendo dados de video para outros dispositivo moveis. A câmera de imagem térmica também pode ajudar a reconhecer os painéis solares defeituosos e turbinas eólicas que estão funcionando quente ou, ainda, para encontrar pessoas desaparecidas.

Os drones Globe UAV também podem ser usados para a manutenção de instalações industriais, oleodutos e linhas de energia elétrica, além de áreas florestais e agrícolas.

Spectair (hall 17, C08) considera-se um “pioneiro na indústria de robôs de voo”. Desde 2012, o provedor de serviços da Meerbusch tem apoiado clientes com planejamento de projeto através do controle profissional de drones e a preparação de dados brutos de gravações aéreas. A Spectair oferece tecnologia de sensor e câmera para fins de inspeção, fazendo mapeamento e levantamento para monitorar a vegetação e o meio ambiente e, também, produções fotográficas e de filmes.

O objetivo da Spectair é se tornar “o fornecedor global líder de serviços de drone” e um líder de mercado no treinamento de pilotos profissionais de drones.

Além das unidades de voo em ação, o hall 17 também vai apresentar soluções para o desenvolvimento e operação de sistemas não tripulados. A jovem empresa Kleenex, de Hamburgo (parceira da BUVUS para a conferência, C08) é um exemplo disso. Desenvolve controle de ar profissional e software de gerenciamento RPAS que combina com ferramentas interativas.